Quarta-feira, 22 de Abril de 2009

Para já três divisões genéricas:

 

Prime Time e Outros Rizomas, textos para um livro de contos e variações.

 

Poesia e Tal, textos para livros e recitais.

 

Ideias Práticas, esboços e ensaios sobre a escrita e a programação de ficções.

 

 


Arquivado em:

Nuno Artur Silva às 17:00 | link do post | comentar

2 comentários:
De José Joaquim Rodrigues a 7 de Novembro de 2009 às 23:58
Boa noite, Nuno.
Não sei quando é que vai ver este comentário. A verdade é que sou um admirador das Produções Fictícias. E, de tudo, o que anda à volta nelas.
Porque, de facto, se neste última década (ou mais de uma década, para ser mais correcto, desde a sua existência), o humor em Portugal ficou mais rico (apesar de termos um grande historial, mas infelizmente, este público ainda não reconheceu isso), foi por causa da PF .
Apareceram bons projectos, revelaram-se grandes argumentistas e bons actores. E, isso prova que devemos ter ainda alguma esperança, quanto ao reconhecimento das boas coisas que fazemos. Bom, cheguei a ver o seu blog, quanto ao artigo "Argumentos Contra as Telenovelas". Acho que este artigo faz todo o sentido, até porque só há cada vez menos pessoas, a verem aquilo que há de bom no cinema português (a não ser que haja num filme, cenas de sexo picantes, aí sim, os recordes de bilheteiras aumentam). Há cada vez mais telenovelas no prime-time, eu cada vez que ligava a tv , nestes últimos anos, as produções estão a aumentar cada vez mais, e os argumentos todos não passam do mesmo. Dizem sempre que é diferente, mas afinal é tudo igual. Por isso, é que há cada vez mais actores a desistirem do formato "telenovela". Há menos séries de ficção (embora que se esteja a apostar cada vez mais nestes formatos), principalmente humorísticos. O que vemos hoje nas televisões em sinal aberto são: "Gato Fedorento" e "Contemporâneos". De resto, não se faz nenhuma aposta nesse sentido. Ou então, se fazem, deixam os formatos em canais temáticos (como por exemplo, "Hora H") ou então quando são exibidos, nem sequer deixam acabar de emitir (como aconteceu, há uns bons anos atrás com o "Humor de Perdição", por causa das entrevistas histórias).
Pode não acreditar nisto que lhe vou dizer, mas sou de 1991 (por isso, é que disse que as PF tiveram uma grande contribuição para o humor em Portugal na última década). E embora, que seja de 1991, já vi no YouTube , algumas coisas do "Tal Canal" e do "Humor de Perdição". E por sinal, gostei.
Bom, como você é um grande argumentista, gostava de lhe pedir uma opinião sincera, através de url que lhe mandei. É um blog, mas é diferente dos outros. Porque, basicamente, estou a escrever um argumento dentro dele. Posso-lhe dizer que a escrita, foi (e é) umas das grandes paixões da minha vida. Embora, que só tenha retomado isso agora (e deixei por causa de problemas que se puseram mais à frente na minha vida). Ainda agora comecei, mas gostava de saber se vou num bom caminho. E até que ponto, vale a minha capacidade de escrita e sobretudo, se vale a pena realmente a continuar a escrever.
Não lhe peço mais sobre nada, a não ser isto. Uma opinião sincera. Quanto tiver tempo, para isso, já que você é um homem bastante ocupado.
Deixo-lhe os meus melhores e sinceros cumprimentos e que as PF continuem a fazer, que o humor em Portugal, seja cada vez mais rico.
Um grande abraço.
José Joaquim Rodrigues.


De José Joaquim Rodrigues a 8 de Novembro de 2009 às 00:02
Boa noite (mais uma vez), Nuno.
Quero-lhe fazer uma correcção sobre uma frase que escrevi.
No penúltimo parágrafo, onde se diz: "Não lhe peço mais sobre nada, a não ser isto.", era suposto eu dizer o seguinte: "Não lhe peço mais nada, a não ser isto". Ficou a palavra "sobre" a mais.
Um grande abraço.
José Joaquim Rodrigues.


Comentar post

Bio Notas biográficas Currículos Fotos Links Acerca E-mail Work Livros Peças Episódios Artigos Ideias Notas Média Rádio English